A sua empresa está preparada para lidar com a gestão de riscos na logística? A sua equipe conhece os potenciais riscos da operação e atua diariamente para minimizar o seu impacto? Os imprevistos são solucionados com agilidade e flexibilidade para não afetar os resultados?

Essas são perguntas que qualquer gestor da área de logística deve ser capaz de responder positivamente. Também é um sinal de que a empresa reconhece a importância estratégica da área de transportes e concentra esforços para o seu aprimoramento.

Porém, se a sua resposta para algum dos questionamentos acima foi não, saiba que ainda há tempo para mudar esse cenário. O primeiro passo começa com a leitura deste post que vai ajudar você a compreender esse processo detalhadamente. Confira!

A gestão de riscos na logística

A atividade logística pode ser resumida como o conjunto de processos que visa garantir a entrega de insumos e produtos corretos, no local definido e na data programada. Isso quer dizer que é preciso manter a acuracidade dos pedidos de acordo com as especificações dos clientes e realizar a sua entrega com agilidade.

Porém, como qualquer atividade comercial, a empresa está sujeita a imprevistos que podem afetar o andamento da operação. Por esse motivo, temos a gestão de riscos voltada para a logística.

Essa é uma atividade essencial que visa identificar os potenciais problemas que podem afetar a cadeia de suprimentos e desenvolver soluções para esses cenários. Existem diversas ameaças ao funcionamento da cadeia de suprimentos, entre eles:

  • a condição das estradas;
  • a oscilação da demanda no mercado;
  • as mudanças climáticas que impedem o tráfego;
  • a incidência de danos às mercadorias durante o transporte.

Os três passos da gestão de riscos

Para contornar esse obstáculo, existem metodologias que podem ser implementadas na sua empresa. Uma delas sugere a adoção de três passos para construir um plano de contingência.

  1. identificação: nessa etapa toda a operação logística é examinada para identificar possíveis vulnerabilidades e quais são as chances delas se manifestarem;
  2. análise: nesse passo é preciso considerar o impacto de cada ameaça listada e a gravidade das consequências. Com isso é possível estabelecer a ordem de priorização para concentrar recursos na busca por uma solução;
  3. resposta: após conhecer os riscos e suas consequências, é preciso saber qual atitude será tomada. É possível prevenir que o evento ocorra, minimizar o seu impacto ou reagir somente quando a situação se manifestar.

A importância da gestão de riscos para o seu negócio

O propósito do gerenciamento de riscos em qualquer área de atuação é analisar as incertezas do negócio que podem resultar em adversidades. No caso da logística, o setor está exposto a vulnerabilidades que podem causar a interrupção da sua operação.

Essa situação tem variados graus de consequência que devem ser medidos para que seja possível estabelecer táticas contingenciais. Em geral, os riscos resultam em perda financeira, queda do desempenho e afetam a reputação da organização perante o mercado.

Por isso, é vital que o gestor tenha visibilidade sobre o que pode vir a acontecer e quais são as suas alternativas para reagir com prontidão.

Os principais riscos na logística

Um dos desafios que impedem o gerenciamento dos riscos de forma eficiente é a ampla gama de atividades que podem ser afetadas. Identificar problemas desde o planejamento de compra de insumos, passando pela estocagem até o momento da distribuição é uma tarefa complexa.

Logo, é importante conhecer os tipos mais comuns:

Roubo de cargas

A criminalidade das estradas é um inimigo conhecido das empresas que utilizam o transporte rodoviário como meio de distribuir mercadorias. Em geral, os produtos mais visados são alimentos e bebidas, eletrônicos e remédios. O prejuízo afeta fabricantes, operadores logísticos e, em especial, o consumidor, que é bastante lesado com a súbita falta de mercadorias.

Danos causados durante o manuseio

As mercadorias podem sofrer danos mesmo dentro do armazém devido ao manuseio e empilhamento inadequado. Esse é o caso em que a infraestrutura não é adequada para manter os produtos em segurança.

Paralelamente, a situação é ainda mais preocupante quando há chance de causar acidentes com a equipe responsável.

Acidentes nas estradas

Imprudência, falta de conservação das rodovias e problemas nos veículos são as principais causas de acidentes durante o trajeto de entrega. Além da possibilidade de causar ferimentos graves ao motorista, o veículo da empresa e a carga também podem ser danificados.

Essa situação impossibilita a entrega ao cliente e aumenta os custos necessários para substituir os itens perdidos.

As melhores formas de proteger o seu negócio contra os riscos logísticos

Para proteger o seu negócio é preciso analisar cuidadosamente os potenciais riscos e definir planos que possam minimizar o impacto negativo.

Mantenha a frota em perfeito estado

Conservar a frota em pleno funcionamento é um aspecto relacionado tanto à segurança como à redução dos custos operacionais. A recomendação é desenvolver um plano de manutenção periódica com o objetivo de:

  • acompanhar o desgaste de pneus;
  • verificar os sistemas de direção e freios;
  • substituir peças de acordo com a necessidade;
  • checar a influência do peso da carga nos eixos do veículo.

Essa é uma alternativa que evita acidentes e defeitos que podem manter o veículo ocioso por longos períodos. Afinal de contas, um veículo parado é uma situação extremamente desfavorável, pois ocasiona o aumento dos custos e sobrecarrega a equipe. Além disso, os acidentes nas estradas são responsáveis pelo atraso nas entregas e podem danificar os produtos durante o trajeto.

Adquira apólices de seguro para a carga e para a frota

Existem soluções que visam prevenir que os riscos se manifestem. Contudo, alguns planos são desenvolvidos para evitar que a perda financeira seja excessiva e afete o negócio.

As apólices de seguro são exemplos dessa estratégia que possibilita o ressarcimento dos valores referentes ao patrimônio da empresa em caso de roubo, extravios ou acidentes. Essa opção assegura tanto o veículo como a carga e ajuda a compensar a impossibilidade de entregar o produto ao cliente.

Invista em sistemas de monitoramento veicular

Equipamentos de GPS, sistemas de rastreamento e roteirizadores são aliados importantes para manter tanto a carga como a frota em segurança. Tudo isso faz parte de uma estratégia que busca:

  • minimizar o consumo de combustível;
  • conhecer a localização da frota em tempo real;
  • evitar regiões com alto de índice de criminalidade;
  • acompanhar o funcionamento dos sistemas do veículo;
  • delinear a rota mais eficiente até a localidade do cliente.

Como resultado, as chances de roubo ou extravio e, consequentemente, prejuízo são reduzidos.

Em termos simples, gestão de riscos na logística propicia uma visão ampla sobre o funcionamento da organização e as suas vulnerabilidades. Com essas informações disponíveis é possível revisar processos, treinar a equipe e investir em tecnologia. Desse modo, é possível ter ainda mais controle sobre as atividades relacionadas ao movimento de mercadorias.

As informações deste artigo merecem ser divulgadas, por isso compartilhe o nosso conteúdo em suas redes sociais!