frota que atua no transporte de mercadorias pelas rodovias nacionais encontra-se em amplo crescimento, o que representa uma vantagem para o mercado. Isso quer dizer que o setor está se tornando mais competitivo e que há novos negócios em expansão para atender a demanda. Nesse cenário, a fiscalização sobre o excesso de carga é fundamental.

A prática de carregar o veículo além da sua capacidade máxima, muitas vezes, surge da necessidade de reduzir custos. Contudo, essa é não somente uma atitude ilegal, como também extremamente arriscada.

Em uma análise superficial, a economia pode parecer significativa, porém, os prejuízos para toda a operação são inúmeros. Para saber mais sobre o assunto, continue com a leitura deste artigo.

Quais são os principais problemas com o excesso de carga?

O tráfego de mercadorias é uma atividade fundamental para a economia, pois conecta produtores e consumidores em todo o território nacional. Porém, as irregularidades representam riscos tanto para a operação quanto para a vida do condutor. A seguir, saiba mais sobre esses problemas.

Representa uma infração de trânsito

A legislação nacional de trânsito é muito clara no que se refere às limitações do peso da carga e do caminhão. São estipulados dois casos, com as porcentagens toleradas:

  • 5% sobre os limites do peso bruto total e do peso bruto total combinado;
  • 10% sobre os limites de peso regulamentares por eixo de veículos transmitidos à superfície das vias públicas.

A multa válida pode ser aplicada tanto para o embarcador, que contratou o frete, quanto para o transportador, conforme o caso. Ambos serão responsáveis solidariamente quando ficar constatado que o documento fiscal registrou o excesso de carga.

Isso quer dizer que o transportador — ou motorista autônomo — estava ciente da infração e, mesmo assim, concordou em realizar o frete. Já o motorista é penalizado com quatro pontos na carteira, e o veículo pode ser retido até que a situação seja regularizada.

O cálculo da multa é progressivo com base no peso observado em excesso e de acordo com a capacidade do veículo.

Acelera o desgaste das vias públicas

Manter as rodovias asfaltadas e em boas condições de conservação é um grande desafio para os órgãos responsáveis. As irregularidades cometidas com relação ao peso da carga adicionam ainda mais problemas que afetam a todos os usuários.

Isso quer dizer que o asfalto e o solo são submetidos a uma pressão elevada decorrente do peso. Com isso, surgem trincas, ondulações e buracos que tornam o tráfego ainda mais arriscado. A sociedade também é prejudicada, pois é preciso destinar recursos públicos para arcar com os elevados custos de manutenção e realizar os reparos.

Com o tempo, a degradação avança de trincas e fissuras para buracos de grandes proporções. A movimentação constante pode resultar, também, em afundamentos e ondulações na pista. Esse fenômeno afeta o sistema de suspensão e os eixos, diminuindo, assim, o conforto de motoristas e passageiros durante o percurso.

Aumenta os riscos durante o trajeto

O peso da carga combinado com a condição das estradas brasileiras pode resultar em problemas de natureza grave. A movimentação de mercadorias é uma operação que está sujeita a acidentes e à ação de quadrilhas especializadas em roubo de cargas. O excesso de peso pode ampliar o risco de diversos incidentes.

Uma das causas é a instabilidade do veículo, que pode resultar em tombamentos e colisões laterais. É observado que o superaquecimento é um dos motivos para a redução da capacidade de frenagem, por isso, há possibilidade de ocasionar problemas com a desaceleração em caso de emergência.

Ocasiona lentidão do transporte

Uma consequência natural dos veículos que trafegam com excedente de peso é a redução da sua velocidade durante o trajeto. Esse fator torna o processo de distribuição mais longo do que deveria. O tráfego da via também pode ser afetado, o que resulta em lentidão para quem dirige pela mesma estrada.

As baixas velocidades também podem ser uma decisão dos motoristas que tentam aumentar a sua segurançaIsso ocorre porque os sistemas de freio não respondem de forma ágil nessas condições. Assim, uma tentativa de economizar pode se converter em atrasos nas entregas e aumento dos custos com combustível.

Causa a deterioração da frota

Já ficou estabelecido como o carregamento excessivo dos veículos é uma prática nociva para a conservação das vias públicas. Além disso, o aumento das chances de acidentes constitui uma fonte de preocupação tanto para os empreendedores como para os motoristas.

Portanto, é preciso discutir o seu impacto na conservação da frota e na redução da sua vida útil. Um caminhão faz parte do patrimônio de uma empresa de transportes e viabiliza a existência do negócio, o que torna a sua conservação essencial. Quando há uma pressão devido ao peso, os principais componentes afetados são:

  • eixos;
  • molas;
  • suspensão;
  • rodas e pneus;
  • sistema de frenagem.

Aumenta o consumo de combustível

Para quem carrega os veículos além de sua capacidade, pode parecer mais econômico, pois o caminhão leva mais mercadorias e diminui o número de viagens. Contudo, essa noção está incorreta, pois resulta em um maior consumo de combustível.

Esse aumento nos custos é responsável por encarecer o preço do frete e reduzir a competitividade da empresa. Por esse motivo, atentar aos limites de carga é mais vantajoso sob o ponto de vista financeiro.

Eleva a emissão de gases poluentes

O transporte rodoviário de produtos é considerado um dos vilões da poluição e o excesso de carga contribui para agravar o problema. Com maior consumo de combustíveis, o volume de gases poluentes lançados no ar também aumenta proporcionalmente. Essa é uma questão ambiental, social e de saúde pública, que tem impacto na vida de todos.

No processo de distribuição de mercadorias de cargas, as medidas que garantem o melhor desempenho são aquelas que atendem a legislação de trânsito. A atenção aos limites de velocidade e de lotação da carga contribui para evitar a incidência de multas, acidentes e apreensões.

Causa danos à mecânica do caminhão

O próprio caminhão pode sofrer danos ao carregar o excesso de peso, já que ele foi projetado apenas para carregar um peso limite. Um dos componentes que mais acaba sendo danificado são os eixos, que por conta do peso, não conseguem permitir com que o motorista consiga controlar as rodas do veículo.

Assim, ao passar por curvas ou locais mais perigosos, o motorista corre o risco de perder o controle do veículo facilmente, o que poderá causar acidentes. Outros componentes como as suspensões ou até mesmo os freios são danificados.

O veículo como um todo tem sua vida útil diminuída, fazendo com que ele tenha que passar por reparos de maneira mais frequente, ou que determinadas peças sejam trocadas com mais frequência.

Como consequência, os custos com manutenção são encarecidos o que acaba não valendo a pena em comparação ao extra de carga que é levado pelos caminhoneiros até o seu local de destino.

Resulta em mais gastos para a empresa/motorista

Um veículo que quebra ou tem suas peças desgastadas mais facilmente acaba gastando mais por parte do motorista, ou da instituição responsável pelo veículo para que ele possa voltar para a estrada em segurança.

Além disso, ao se envolver em acidentes, ainda é necessário gastar com infrações, multas, conserto dos demais veículos ou até mesmo no pagamento de encargos ao motorista, caso fique constatada negligência da empresa em fornecer um veículo seguro para transporte.

Assim, acaba sendo mais econômico respeitar o limite de carga suportado por caminhão ou investir em veículos maiores, para que assim, você consiga levar uma maior quantidade de mercadoria com segurança para o motorista, pedestres e outros veículos.

Além disso, os seus motoristas poderão dirigir melhor, ter um melhor desempenho na estrada e conseguir entregar a carga em boas condições e dentro do prazo para os clientes ou fornecedores.

Como evitar o excesso de carga?

Para garantir a segurança nas estradas, a recomendação é eliminar o excesso de carga completamente. Com isso, o gestor pode economizar com reparos na frota, consumo de combustível e prevenção de acidentes.

Confira a seguir algumas dicas de como evitar o excesso de carga em seu caminhão, e assim, evitar acidentes e outros problemas que podem ocorrer a curto e longo prazo com essa atitude.

Verifique as condições da mercadoria

Como está a qualidade da mercadoria que está sendo transportada? Ao empilhar muitas caixas de um produto que já não esteja em boas condições, poderá fazer com que eles sejam ainda mais danificados e cheguem em péssimo estado ao cliente.

Assim, avalie como está a mercadoria antes de começar viagem ou até mesmo colocar os itens no caminhão. Caso perceba que eles não estão em condições de viajar, verifique a possibilidade de fazer trocas.

Mesmo se estiver em boas condições, evite empilhar mais itens do que o permitido na caixa ou suportado pelo caminhão, para que assim, nem o veículo e nem a carga tenham problemas durante o trajeto.

Também é interessante fazer inspeções após a chegada da mercadoria, como uma maneira de se cerificar de que todos os produtos chegaram um bom estado e possam ser utilizados pelo cliente.

Não sobrecarregue os eixos

O eixo do caminhão é o local em que são instaladas as suas rodas, e tem papel importante no controle das mesmas. Como ele faz a sustentação do veículo nas rodas, ele precisar suportar um certo peso, proveniente dos próprios componentes e das cargas que são transportadas.

Entretanto, esses eixes têm um limite de peso que deve ser respeitado, caso o contrário, isso poderá atrapalhar a direção, já que o motorista não conseguirá ter controle total sobre as rodas.

O motorista poderá ter problemas ao realizar uma curva ou andar por um local mais perigoso, resultando assim em acidentes que poderão danificar a mercadoria, o caminhão e a própria vida do motorista.

Procure no manual do veículo ou com o fabricante qual o limite de peso suportado pelos eixos do caminhão e procure respeitá-lo na hora das viagens. Você terá uma viagem segura, com um veículo que terá uma vida útil maior.

Confira o trajeto

Qual será o trajeto feito para chegar até o destino? Conta com muitas curvas? É perigoso? É preciso levar todos esses aspectos em conta na hora de carregar o seu caminhão.

Um veículo mais pesado terá dificuldade em transitar por certos locais, já que os seus eixos não terão tanta leveza na hora de controlar os pneus, além da facilidade com que a carroceria tem de tombar.

Por isso, invista em levar cargas menores em trajetos mais perigosos, evitando assim acidentes e perda da mercadoria. Você conseguirá fazer um trajeto muito mais seguro e fornecerá um serviço melhor, já que as mercadorias serão entregues em boa qualidade e em um bom tempo.

Sempre faça revisões no seu veículo antes de fazer uma viagem perigosa, para se certificar de que todos os componentes estão funcionando bem e que você poderá dirigir com segurança.

Leve em consideração as características da via

Não é apenas o limite de carga no caminhão que deve ser respeitado, mas também o limite da via. Alguns locais determinam a quantidade de carga que o veículo pode levar, para não deteriorar a pista ou causar acidentes no local.

Por isso, calcula bem a rota que será utilizada para levar os seus produtos até o destino esperado, optando por aquelas nas quais o seu caminhão está dentro do limite de carga determinado.

Assim, mesmo que leve um pouco mais de tempo, você evitará que a carga sofra algum tipo de dano, ou que o seu veículo se envolva em um acidente grave, colocando em risco a vida do motorista e a integridade do veículo.

Uma alternativa é dividir a carag em questão em mais de um caminhão. Apesar de, inicialmente, aparentar ser um gasto maior em combustível, você não precisará se preocupar com acidentes e multas decorrentes do excesso de peso ou da danificação das vias públicas.

Também é importante verificar a qualidade das estradas do local, já que buracos e outros tipos de obstáculos também podem atrapalhar o andamento do veículo, mesmo que ele não esteja com excesso de peso.

Assim, entendendo melhor quais as consequências do excesso de carga em caminhões e quais as melhores técnicas para evitar problemas com o seu caminhão, mercadorias e motorista, você poderá fornecer um serviço seguro e de qualidade para os seus clientes e fornecedores.

Você quer compartilhar a sua opinião sobre o artigo que acabou de ler? Tem alguma sugestão ou ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Então, deixe o seu comentário no campo abaixo!