Quando pensamos em todas as decisões que devem ser tomadas no processo logístico, a escolha do veículo está entre as mais importantes. Considere, por exemplo, como a carroceria aberta é ideal para certos tipos de produtos, enquanto outros requerem maior proteção.

Esse tipo de planejamento revela maior cuidado de acordo com a natureza da carga para agregar mais segurança ao transporte. Portanto, a sua empresa deve ser capaz de utilizar implementos e carrocerias diversificadas em sua operação.

Por isso, preparamos este conteúdo com orientação sobre a utilização da carroceria aberta. Confira!

Quais são os principais tipos de carga?

A prestação de serviços logísticos é conhecida por sua versatilidade, afinal, há uma ampla gama de cargas que podem ser transportadas pelo modal rodoviário. Contudo, é preciso contar com veículos e carroceiras distintas para lidar com esse tipo de demanda.

Os tipos mais comuns são:

  • mudança;
  • carga viva;
  • carga seca;
  • cargas a granel;
  • cargas perigosas;
  • cargas frigoríficas;
  • alimentos perecíveis;
  • transporte de contêineres; e
  • cargas especiais (equipamentos de grande porte).

Todos esses exemplos indicam como a prestação de serviços logísticos pode ser segmentada. Além disso, fica claro como as características da carga devem determinar qual é o veículo ideal. Por isso, o gestor deve conhecer os tipos de carroceria mais comuns para identificar quais se adequam as suas necessidades de transporte.

O que é a carroceria aberta?

A carroceria aberta é apenas uma das modalidades existentes, contudo, a sua utilização é bastante comum. Isso quer dizer que a sua utilização prevalece para a movimentação de carga seca. Essa categoria é representada por materiais que podem estar expostos a intempéries nas estradas e não sofrerão danos em decorrência disso.

Em termos simples, esse tipo de carroceria não dispõe de cobertura embutida, o que facilita o embarque dos produtos. Porém, existem laterais que podem ou não ser movimentadas para o carregamento lateral, caso haja necessidade.

Para quais tipos de carga é recomendada?

Esse tipo de carroceira é frequentemente aplicado para o transporte de tubos de aço. Devido a sua forma de empilhamento e peso, o carregamento pode ser feito por guindaste. Mas existem outros tipos de carga que podem ser favorecidas.

Os materiais de construção se encontram nesta categoria, porém as laterais são fechadas e não em grade, para manter a carga alocada corretamente. Esse é o caso de areia e pedras, frequentemente utilizadas na construção civil.

Além disso, as cargas paletizadas, tambores ou caixas são exemplos de embalagens que podem ser transportadas com tranquilidade. Mesmo com grandes dimensões e peso significativo, esse tipo de carroceria oferece melhores resultados.

Devido a sua facilidade de embarque e desembarque de mercadorias, esse modelo fica entre os mais usados por caminhoneiros e operadores logísticos.

O que a legislação diz sobre a carroceria aberta?

Antes de comprar um novo modelo de carroceira, é fundamental compreender quais requisitos legais devem ser observados. Isso ocorre porque a legislação de trânsito tende a ser rígida para proteger todos os usuários das vias brasileiras.

Além disso, a incidência de irregularidades pode causar o pagamento de multas devido a infrações. Isso representa não só um aumento dos custos da empresa como pode interferir no andamento da viagem. Portanto, tenha bastante atenção ao avaliar os elementos descritos abaixo.

1. Amarração da carga

Esse modelo de carroceria não está isento de cuidados para proteger tanto a carga como os demais veículos nas estradas. Um dos recursos de segurança utilizados é a amarração da carga para evitar avarias decorrentes do contato com as laterais ou outras embalagens.

Esse elemento é ainda mais importante nas carrocerias de madeira, que requerem a utilização de cordas e cabos para evitar a movimentação da mercadoria durante o transporte.

2. O formato dos fixadores

A segurança do processo do transporte de cargas, muitas vezes, está contida nos detalhes. Mesmo quando a transportadora opta por utilizar uma carroceria aberta, ainda é possível incluir maior segurança. Esse é o caso das lonas, material usado para cobrir as mercadorias, aumentando, assim, a proteção dos produtos.

Para manter esse acessório corretamente preso nas grades, são utilizados fixadores, que prendem tanto as cordas como os extensores elásticos na grade dos caminhões de carroceria aberta.

Em 2016, houve uma modificação na legislação de trânsito publicada pelo Contram sobre esse assunto. Segundo a regra atual, passou a ser obrigatória a utilização de fixadores metálicos perfil U considerados de alta resistência.

A partir de então, as novas carrocerias devem ser fabricadas de acordo com essa especificação. Como resultado, o fixador com perfil L foi substituído e poderá ser usado somente nas carrocerias de madeira que já estão em circulação.

Portanto, se você está em busca de uma nova carroceria para a sua transportadora, avalie esse requisito de segurança.

3. O tamanho da carroceria

Uma das práticas mais comuns para reduzir os custos operacionais do serviço de transporte é a otimização do espaço na carroceira. Mas não se engane, nem a maior disponibilidade de espaço é a escolha mais vantajosa para o seu negócio.

Os modelos de carroceria disponíveis no mercado podem variar entre 7,20 metros e 18,15 metros de comprimento. Essa é uma diferença significativa, mas se a sua demanda está em patamares baixos, não é necessário adquirir a carroceria mais espaçosa e, consequentemente, mais onerosa.

É preciso avaliar as reais necessidades da empresa antes de adquirir um patrimônio que não será utilizado em sua totalidade. Busque identificar o tamanho das mercadorias bem como a sua quantidade para estimar com precisão o modelo ideal.

4. Os materiais utilizados

Essa é uma característica importante na fabricação de carrocerias, afinal esse é um produto como qualquer outro para o qual o gestor deve buscar:

  • durabilidade;
  • capacidade de carga;
  • qualidade dos materiais;
  • resistência a mudanças climáticas;
  • baixa necessidade de manutenção; e
  • assistência técnica do equipamento.

Os materiais mais utilizados são madeira, aço e alumínio. No cenário atual, o uso da madeira está cada vez mais baixo devido à exploração ambiental desse recurso. Portanto, cada vez mais as carrocerias têm utilizado metal em sua composição para ampliar a sua resistência e diminuir custos.

Por fim, a lição mais importante sobre a carroceria aberta é o cuidado com a proteção da carga devido ao seu impacto na performance da atividade logística. É com base nesse fator que a nossa empresa trabalha para oferecer as melhores soluções em furgões e implementos rodoviários. 

Essas informações foram úteis para você? Então, entre em contato para saber mais!