A segurança no transporte de carga fechada é um assunto cada vez mais discutido entre os especialistas do setor de logística no Brasil. Infelizmente, a violência cresce gradativamente, e o atual quadro político brasileiro não traz muitas esperanças de melhorias no curto prazo.

Por isso, cabe às empresas buscar ou desenvolver formas de garantir a segurança das mercadorias, assim como a dos seus motoristas. Além disso, cumprir esse quesito simplifica o andamento das operações e a entrega de um serviço de qualidade para o consumidor final.

Interessado em saber mais sobre como funciona o transporte de carga fechada e como fazê-lo com segurança? Então, aproveite a leitura deste artigo e aprenda mais sobre o tema!

Quais as diferenças entre carga fechada e carga fracionada?

Saber diferenciar carga de lotação e fracionada é importante para planejar seus fretes de modo que sejam mais lucrativos. Por isso, vamos abordar esses dois modelos de carga a seguir.

Carga fechada

A carga fechada ou carga de lotação representa uma carga que ocupa completamente o caminhão. Aqui, a transportadora entrega diretamente ao destino final, sem precisar fazer outras entregas durante o percurso.

Essa modalidade exige que a empresa tenha uma boa capacidade de atender diversos clientes ao mesmo tempo. É preciso ter uma frota grande e diversificada com vários tipos de caminhões. A transportadora também deve ter um bom controle das mercadorias, percursos realizados e entregas.

Carga fracionada

Já a carga fracionada apresenta características bem distintas do transporte de carga fechada. A principal diferença entre os modelos é que, na fracionada, o caminhão não é utilizado exclusivamente por apenas um embarcador: diversos clientes compartilham do espaço de um mesmo veículo, e as entregas são fragmentadas.

O objetivo para a transportadora é preencher seu veículo com diferentes encomendas. A partir disso, estuda uma rota comum que seja capaz de cobrir todos os locais de entrega.

Quais são as características do transporte de carga fechada?

Em algumas situações, o transporte da carga completa é o mais indicado, por ser mais rápido e seguro. Algumas das principais características desse sistema:

  • exclusividade do veículo;
  • agilidade na entrega das mercadorias;
  • boa relação custo-benefício;
  • melhor aproveitamento e conservação dos veículos;
  • mais segurança para o produto.

Porém, como foi dito, tanto o embarcador quanto a transportadora devem avaliar fatores, obstáculos e riscos para identificar qual modelo de transporte melhor atende às suas necessidades.

Quais os riscos mais comuns no transporte de cargas?

A atividade logística é cercada por riscos que podem resultar em acidentes ou prejuízos financeiros para o cliente e a transportadora. Então, é crucial aplicar estratégias para identificar essas possíveis ameaças e neutralizar esse tipo de problema. Por isso, separamos o que você precisa saber sobre os principais riscos do transporte de cargas. Confira!

Negligência

A negligência é caracterizada pela falta de cautela ou descuido. É a situação mais comum e ocorre em diferentes circunstâncias, como quando o motorista de um veículo atende ao celular ou conversa com outra pessoa e acaba deixando de prestar atenção à estrada.

Imperícia

A imperícia está relacionada à ausência de habilidade ou de capacidade do profissional de transporte. Quando o assunto é transporte de cargas, a imperícia geralmente leva a acidentes, visto que o motorista não tem habilidade suficiente para evitá-los.

É de responsabilidade das transportadoras contratar motoristas experientes e manter cursos de capacitação para que eles possam exercer suas atividades de forma mais consciente e segura.

Imprudência

A imprudência acontece de forma corriqueira quando o motorista é seguro demais com relação ao seu trabalho. É uma situação de comodidade. Um exemplo de atitude imprudente é quando um motorista que faz os mesmos trajetos há muito tempo deixa de realizar alguns procedimentos de segurança por acreditar que já sabe o suficiente.

Quais as principais medidas para garantir segurança?

Devido aos diversos problemas que o país enfrenta atualmente, podemos ver, cada vez mais, empresários e gestores buscando alternativas que possam garantir maior segurança para o motorista e a mercadoria transportada. Abaixo, confira 4 dicas fundamentais de segurança!

1. Invista em equipamentos para monitoramento de frota

Hoje em dia, é praticamente impossível desenvolver um trabalho eficaz e de qualidade sem contar com a tecnologia. Quando se trata de segurança, esse detalhe é ainda mais gritante.

Utilizar softwares que possam monitorar a frota é um requisito básico para as empresas que se preocupam com a segurança dos seus funcionários e das cargas transportadas. Essa ferramenta permite que a transportadora observe em tempo real a localização dos veículos, recebendo informações sobre a movimentação e as paradas.

2. Realize manutenções preventivas

Outro fator importante, mas ignorado muitas vezes é a manutenção periódica dos automóveis. Não adianta planejar as melhores rotas e ter a tecnologia mais avançada, no que se refere a rastreamento de veículos, se não se lembrar de realizar a troca do óleo, o que faria com que o caminhão sofresse uma pane no meio da estrada, à mercê de furtos e outros perigos.

Todo equipamento de trabalho precisa de acompanhamento para garantir um perfeito funcionamento. Com os veículos de carga, não é diferente: sem o devido cuidado, os equipamentos podem parar de funcionar em momentos cruciais.

3. Faça treinamentos periódicos para os seus motoristas

Os motoristas têm responsabilidade pela mercadoria durante o transporte, portanto, é necessário ter profissionais experientes e muito bem capacitados. Porém, sempre é possível ter um aprimoramento, com treinamentos voltados para áreas como:

  • direção defensiva;
  • primeiros socorros;
  • legislação do trânsito;
  • prevenção de acidentes;
  • transporte de cargas perigosas.

Esse tipo de projeto deve alertar os motoristas para aspectos importantes do trabalho, além da sua própria saúde e segurança.

4. Evite regiões perigosas ou pouco movimentadas

Embora não seja possível prever os eventuais roubos, é possível utilizar os números a favor. Órgãos do governo, como a Secretaria de Segurança Pública, disponibilizam estatísticas dos locais com maiores índices de violência.

A partir desses dados e de outros fatores, é possível planejar rotas, a fim de evitar essas regiões em horários com pouca movimentação. Mesmo que, teoricamente, esses períodos beneficiem o tráfego de automóveis, não vale a pena arriscar a segurança do motorista e dos produtos transportados.

Com a crescente busca por cargas, a demanda por transportadoras que façam transporte de carga fechada é cada vez mais maior. Por isso, é de extrema importância estar equipado com materiais qualificados e que atendam às necessidades de cada cliente, estando preparado para o mercado competitivo.

Precisa de carga seca, carga frigorificada ou outros implementos rodoviários? Então, entre em contato com a Real Furgões. Somos especializados na fabricação de soluções para o transporte de cargas!