Os indicadores de desempenho logístico são ferramentas utilizadas para medir os resultados de uma empresa, especialmente no setor de logística. Também chamados Indicadores-Chave de Desempenho — ou Key Performance Indicator (KPI), em inglês —, essas métricas mostram numericamente o desempenho dos processos do negócio.

Desse modo, os índices servem para avaliar as áreas que precisam ser melhoradas e as que estão sendo bem sucedidas na empresa. Por meio dos indicadores, é possível identificar gargalos, tomar decisões mais acertadas e buscar saídas para melhorias dos resultados logísticos.

Para ajudar você a otimizar a análise dos resultados do seu empreendimento, listamos neste texto os 9 principais indicadores de desempenho logístico. Aproveite a leitura!

1. On-Time Delivery (OTD)

Esse índice é utilizado para verificar o percentual de pedidos que foram entregues dentro do prazo. Com o OTD, você consegue perceber o tempo gasto desde o processamento e separação do pedido até o efetivo envio pelo transportador. Para isso, é preciso:

  • identificar o total de entregas no prazo;
  • dividir o número pelo total de entregas;
  • multiplicar o resultado por 100.

É importante que esse indicador tenha uma porcentagem superior a 90%. O ideal também medir esse resultado diariamente. Afinal, atrasos na entrega podem comprometer o fluxo do setor e impactar negativamente na satisfação do cliente.

2. Tempo de ciclo perdido

Esse indicador avalia o tempo que o produto leva para chegar até o consumidor, desde o momento que o pedido é registrado até o seu recebimento pelo cliente. Com esse cálculo, é possível verificar quais setores estão com baixo desempenho.

Por exemplo, o atraso pode se dar não necessariamente pela transportadora, mas pela falta de um item no estoque, na demora no carregamento do caminhão, na liberação da documentação correta etc.

Dessa forma, o tempo de ciclo do pedido é uma ferramenta para auxiliar os gestores a perceber os gargalos do setor. Com isso, dá para pensar em estratégias para reduzir ou eliminar os problemas. Para calcular, é importante computar a data da realização do pedido e a data da entrega do produto.

3. Índice de ocorrências

Na logística, deve-se fazer a gestão de riscos para evitar danos às mercadorias e desaparecimentos durante o transporte. Extravios, avarias, devoluções e trocas causam retrabalho, perda de tempo, elevação nos custos e comprometem a produtividade da empresa.

Desse modo, os gestores precisam ficar atentos ao índice de ocorrências no carregamento e transporte das cargas. Meça a quantidade de produtos que foram perdidos por problemas e imprevistos, como quebras, danos e outros prejuízos. Reduzir esse número é fundamental para que a empresa não tenha perdas financeiros e impactos negativos na sua imagem devido à insatisfação do cliente.

4. Nível médio de estoque

O ideal é que o estoque da empresa tenha mercadorias suficientes para suprir a demanda de vendas. Sem excessos, nem faltas. Quantidades excedentes aumentam a possibilidade de extravios e podem elevar os custos operacionais, já um estoque muito baixo pode levar a perda de vendas e uma experiência negativa do cliente.

Desse modo, é essencial manter o nível médio de estoque adequado. Para isso, acompanhe a demanda de produtos, a disponibilidade dos itens e o prazo médio de entrega dos fornecedores. Veja também por quantos dias o seu negócio consegue funcionar com o estoque. O cálculo do nível médio de estoque é: a quantidade de itens em estoque dividido pela demanda média diária.

5. Nível de serviço de entregas

Para verificar esse indicador, é preciso observar o tempo gasto do momento em que o caminhão foi para a estrada até o instante em que o produto chegou no cliente. Esse índice ajuda o gestor a entender a porcentagem de entregas que são realizadas dentro do prazo e pode servir para planejar rotas mais adequadas ou, até mesmo, perceber problemas com a transportadora.

Busque as causas para os atrasos e os principais problemas enfrentados no transporte das cargas. Lembre-se que o serviço de entrega afeta diretamente o grau de satisfação dos clientes com sua empresa.

6. Custos logísticos

Esse é um dos indicadores de desempenho mais relevantes para o setor. Você deve avaliar os custos da área logística e onde estão os maiores gastos. Com isso, os gestores podem identificar excessos e tomar medidas para reduzir custos. Alguns dos principais custos a serem avaliados são:

  • perdas de estoque;
  • frete por pedido;
  • frete sobre as vendas;
  • perdas com avarias e extravios;
  • gastos com devoluções e reentregas.

Com essa informações, é possível observar se os valores estão dentro do orçamento previsto. Ademais, também é importante verificar qual o percentual gasto no setor logístico em comparação com o custo total da empresa.

7. Order Fill Rate (OFR)

Dentre os indicadores para avaliar a entrega dos produtos está o OFR. Ele verifica o tempo interno para o processamento do pedido, desde a separação do pedido, empacotamento e expedição. Esse índice pode ajudar o gestor a otimizar recursos e melhorar a eficiência da área.

8. On-Time & In-Full (OTIF)

Esse indicador serve para compreender as operações a partir do ponto de vista do cliente. Ele representa a eficácia na eficiência dos processos de atendimento (in full) e no cumprimento de prazos (on time). Por meio desse índice, você verifica se o pedido foi entregue da forma correta, no local solicitado, dentro do prazo e sem problemas.

9. Acuracidade do Inventário

Também é relevante pensar na organização do estoque da empresa. Para isso, vale usar o indicador de acuracidade do inventário. Nesse caso, você deve mensurar a diferença entre os produtos que estão, de fato, no seu armazém e as informações que aparecem no seu sistema de controle.

Idealmente, os números não devem divergir. A falta de controle no estoque mostra desorganização e pode causar sérios problemas para o seu negócio. Mantenha sempre as quantidades atualizadas.

Como vimos, os indicadores de desempenho são instrumentos relevantes para os gestores tomarem decisões e aprimorarem processos. No entanto, cada empresa deve avaliar os índices que mais se adequam aos objetivos e estratégias da instituição.

Por exemplo, se o seu foco é na fidelização de clientes, vale ficar atento ao nível de serviços de entrega. Em geral, a eficiência da logística costuma ser percebida a partir dos os indicadores de desempenho logístico relacionados ao estoque, segurança e transporte da carga.

Achou útil este texto? Aproveite e continue se atualizando sobre setor logístico. Entenda também quais são os riscos envolvidos na carga e descarga!