A operação logística envolve riscos que podem representar prejuízos significativos tanto financeiros quanto pessoais. Esse é o caso das tarefas de carga e descarga de mercadorias.

Por causa de uma amarração incorreta, por exemplo, a carga pode deslocar-se no interior da carroceria causando impactos que podem danificar os produtos. Da mesma forma, durante a entrega, os operários estão sujeitos a serem atingidos por mercadorias soltas. Isso pode causar lesões graves que poderiam ser evitadas com medidas preventivas.

Se você quer saber como a sua organização pode ser mais segura, continue a leitura!

Como ocorre o processo de carga e descarga? 

No setor logístico o processo de embarque de mercadorias consiste em realizar o seu acondicionamento no compartimento de carga. Esse processo pode ser executado manualmente, no qual as embalagens são carregadas até o veículo. Em geral, são caixas de pequeno peso e pouco volumosas.

Há também a possibilidade de utilizar carrinhos para empurrar as caixas empilhadas em paletes. Em outros casos, as empilhadeiras são utilizadas para mover as mercadorias desde o armazém até o caminhão.

A maioria dos depósitos e centros de distribuição conta com espaços reservados, chamados de docas, para o estacionamento dos veículos. Esses locais são equipados de rampas e elevadores que ajudam na movimentação dos produtos.

Por outro lado, a atividade de descarga nos clientes, muitas vezes, deve ser bem planejada. Afinal, pode ser necessário disponibilizar os equipamentos para a sua movimentação.

As janelas de entrega também são uma prática comum. Elas limitam os horários nos quais as mercadorias podem ser descarregadas, pois requer a liberação de espaço no depósito e atuação da equipe.

A quais riscos a equipe está exposta?

As atividades que são executadas dentro de armazém têm potenciais riscos que podem danificar a mercadoria ou causar acidentes de trabalho. Para evitar problemas, é preciso ter ainda mais cuidado com:

  • a amarração da carga na carroceria;
  • o manuseio de máquinas e equipamentos;
  • o içamento de mercadorias de grande porte;
  • a circulação exclusiva de pessoas autorizadas no ambiente do depósito;
  • a utilização de equipamento de proteção individual (EPI) no interior do armazém.

Para a Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho, o acidente de trabalho pode ser conceituado como um incidente imprevisto durante a jornada de trabalho, ou durante o deslocamento, que resulte em dano físico ou mental.

Com base nesse cenário, os riscos da operação de movimentação de mercadorias devem ser avaliados com base em sua gravidade e potencial de dano para a saúde do trabalhador.

Como tornar o processo de carga e descarga mais seguro? 

Já destacamos como a incidência de acidentes é um aspecto preocupante na operação de transportes. Por isso, o gestor deve monitorar as atividades para aumentar a segurança e proteger a equipe. A seguir, confira o que pode ser feito.

Adote treinamentos periódicos 

Uma equipe instruída é sinônimo de trabalhadores seguros que são capazes de avaliar os riscos aos quais são submetidos diariamente.

Por ser uma atividade rotineira, o processo de embarque e desembarque requer maior atenção. Por isso, adote a prática de realizar treinamentos na área para rever processos de trabalho, a adoção de equipamentos de proteção e as melhores formas de prevenir acidentes.

Essa recomendação é fundamental, pois acidentes podem ser causados por imperícia, ou seja, uma situação em que operador não desenvolveu as habilidades requeridas para a sua execução de sua tarefas. Nesse cenário, a qualificação constante contribui de maneira significativa para reduzir o índice de acidentes na operação logística.

Forneça equipamentos de segurança

Para quem trabalha em armazéns e centros de distribuição, a exigência do uso de EPIs já não é novidade. As empresas estão cientes dessa exigência e adotam medidas para fornecer equipamentos adequados aos operários. Contudo, a própria infraestrutura do local de trabalho também pode contar com formas de proteção adicional.

Esse é o caso do dimensionamento e layout utilizado para a carga e o espaço sinalizado para a circulação de pessoal. A configuração do espaço, bem como as características do piso e das escadarias, são essenciais para evitar quedas e o desgaste excessivo da equipe.

Essa é uma prática que garante estabilidade, principalmente, quando a movimentação de cargas manualmente é corriqueira. Por esse mesmo motivo, a cobertura é fundamental para evitar que os produtos fiquem sujeitos a intempéries e ocorra o acúmulo de água no piso.

Engaje a participação da equipe

Muitas empresas reconhecem a importância da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), que é um comitê formado pelos próprios funcionários.

O objetivo dessa comissão é observar as condições de trabalho em todos os ambientes com o intuito de identificar riscos relacionados a execução das atividades.

Como resultado, é possível propor ações de melhoria para preservar a integridade física de todos os colaboradores. Suas atribuições também incluem a avaliação de alterações realizadas no ambiente para garantir que todos os parâmetros de segurança sejam atendidos.

Quais são as especificações da NR 11? 

A Norma Regulamentadora 11, criada em 2003, é a legislação que regulamenta o transporte, a movimentação, a armazenagem e o manuseio de materiais. O seu texto é bastante abrangente e descreve recomendações relacionadas a:

  • operação de elevadores e guindastes;
  • condições recomendadas de trabalho;
  • manutenção e inspeção dos equipamentos;
  • infraestrutura do espaço dedicado ao depósito;
  • e prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho.

Como essas atividades estão relacionadas ao manuseio de embalagens pesadas, maquinário e, até mesmo, em altura, é importante normatizar os métodos de trabalho.

É fundamental ressaltar que a análise dos riscos inerentes a operação de transportes não se limita às atividades de carga e descarga. Por isso, o gestor deve expandir esse procedimento para englobar todas as áreas da organização.

Somente por meio do monitoramento constante é possível aprimorar a qualidade do ambiente de trabalho e a eficácia dos procedimentos de segurança e saúde ocupacionais.

Agora que você já conhece quais são os principais riscos dessa operação está na hora de começar a aprimorar os resultados. Confira o nosso post com 5 dicas para realizar a carga e descarga com eficiência!