Você já ouviu falar sobre a tabela de frete? A greve dos caminhoneiros realizada em março de 2018 trouxe à tona esse tema no país. Pois bem, a tabela de frete nada mais é do que uma planilha com os preços mínimos para as cargas de lotação. Você sabe o que esse termo significa?

Se quiser descobrir essa resposta e muito mais, confira atentamente este material que preparamos com informações relevantes sobre o assunto. Boa leitura!

O que é a ANTT?

Antes de se aprofundar no assunto da tabela de frete, é preciso conhecer um pouco mais sobre a agência reguladora a qual determinou os preços mínimos para o transporte. Trata-se da Agência Nacional de Transportes Terrestres, ou mais conhecida pela sigla ANTT.

Ela regulamenta todos os serviços de transporte rodoviário e ferroviário do país. O objetivo primordial dessa agência é supervisionar e regular as atividades a fim de que cargas e passageiros estejam seguros. Além disso, é realizado um trabalho para que não haja competições imperfeitas ou transgressões de legislação.

Exemplos clássicos disso são os casos em que caminhões e carretas excedem a sua capacidade de carga para transportar mais produtos. Há também os casos em que veículos não apropriados são utilizados para levar materiais perigosos. Imagine uma van que realiza serviços de transporte de combustíveis petrolíferos. Há uma grande probabilidade de acontecer acidentes e imprevistos nesses tipos de situação.

É exatamente aí que a ANTT atua para garantir uma boa integração nacional e promover a regulação a fim de que haja uma boa prestação de serviços. A agência também tem alguns princípios e diretrizes que norteiam a atuação dela.

Promover estudos e garantir a integridade nacional são pontos fundamentais para o setor de viação nacional (rodoviário e ferroviário). A ANTT é muito mais que uma agência reguladora, já que fomenta a promoção de um desenvolvimento geral do setor de transportes nacional.

Nessa perspectiva, há a importância da tabela de frete. Afinal, com valores muito baixos e exploratórios, muitos trabalhadores podem não continuar no mercado, o que gera perdas para todo o país. Em um ambiente competitivo como o mercado nacional, é muito imprescindível que haja uma atenção especial a esse setor estrutural da economia.

O que é a tabela de frete?

Lembra quando falamos sobre a carga lotação no início do texto? Pois bem, esse termo diz respeito às cargas que ocupam a totalidade do veículo. Isso quer dizer que todo o espaço útil é ocupado por uma mercadoria a ser transportada. Ela também é conhecida por carga fechada.

Agora, a tabela de frete regula justamente os valores mínimos a serem pagos por esse transporte. O Brasil tem diversos impostos, pedágios e combustíveis com valores altos. Tudo isso faz com que a margem líquida do transportador seja muito baixa.

Para isso, há a tabela de frete elaborada pela ANTT com valores fixados que são uma recomendação para negociações envolvendo transporte de mercadorias. Isso fomenta a existência de um mercado mais justo.

Existem variáveis que precisam ser analisadas até que seja definido o preço mínimo. Por exemplo, combustível, custos fixos dos caminhoneiros e transportadoras. A tabela foi promulgada pela Resolução 5.820/2018.

Um ponto interessante é quanto ao reajuste do combustível. Como a grande maioria dos veículos faz uso do diesel, ele é realizado com base nesse produto. Assim, toda vez que houver variações no valor acima de 10%, tanto para baixo quanto para cima, a tabela é reajustada.

Para que serve uma tabela de frete?

Muitas transportadoras e motoristas autônomos já exigiam a criação de uma tabela-base para o setor. O propósito básico é definir um padrão para as negociações de preço. Desse modo, o autônomo fica mais resguardado de possíveis ofertas exploratórias que não sejam suficientes nem para quitar seus gastos.

A tabela de frete é obrigatória e válida em todo o território nacional. É uma grande conquista para os caminhoneiros que pretendem seguir os trabalhos sem se vincularem a outras transportadoras. A tabela gera benefícios para o consumidor final, aos empresários do setor e aos autônomos.

Quais as principais variáveis para elaborar uma tabela de frete?

O objetivo principal de uma tabela de frete é passar os custos embutidos na operação da forma mais transparente e justa possível. Existem algumas variáveis muito importantes que compõem o custo final desse documento. Confira abaixo!

1. Tipo de carga 

É preciso ter em mente que transportar cargas sólidas e combustíveis são processos bastante diferentes. Por isso, há a necessidade de valores diferentes e de analisar muito bem cada situação. Mercadorias frágeis precisam de embalagens especiais. Já as muito pesadas geram desgastes nos pneus e maior consumo de combustível. Tudo isso tem que ser verificado para que não haja prejuízo.

2. Tipo de veículo

Um veículo de grandes dimensões tem uma capacidade de carga muito maior. No entanto, ele pode consumir mais combustível do que os mais compactos. Isso revela que o investimento realizado para a movimentação de carga pode ser muito diferente e que o tipo de caminhão interfere diretamente no valor do transporte.

3. Prazo de entrega

Prazos menores exigem muito mais eficiência e rapidez no processo. Tudo isso gera um custo final para o consumidor que adquiriu o produto. É exatamente esse adicional que também precisa ser embutido no valor a ser repassado ao transportador. O prazo de entrega pode fazer com que seja exigido mais de um motorista na rota. Tudo isso revela como é fundamental analisar com detalhes o valor a ser pago pelo processo.

O uso da tabela de frete é um pouco complexo se for realizado de forma manual. Por isso, um bom sistema de gestão pode gerar mais agilidade e produtividade operacional. Como já foi dito, com variações no preço do combustível, ela pode sofrer alterações. É preciso estar atento a tudo isso para maximizar os ganhos e minimizar riscos. Um bom software viabiliza o uso da tabela de frete.

Valores justos e padronização de mercado são algumas das principais vantagens da aplicação da tabela de frete no território nacional. Você já conhecia esse tópico do mercado de transportes? Assine a newsletter agora mesmo para não perder mais nenhuma novidade do setor.