Seja para aumentar, seja para modernizar ou trocar a frota, comprar um caminhão é algo que exige muita atenção e planejamento. Afinal, como esse é um investimento destinado ao trabalho e tem um alto valor agregado, é preciso avaliar detalhadamente os custos de aquisição e manutenção.

São diversas as etapas envolvidas nesse processo, desde a análise das necessidades da empresa até as condições oferecidas pelas instituições financeiras.

Para ajudar você a evitar erros e prejuízos, listamos neste artigo os principais aspectos que merecem a sua atenção. Confira!

Analise o mercado

Os valores dos veículos variam de acordo com suas características, o fornecedor e certos períodos do ano.

Além de estudar com cuidado as condições ofertadas, é preciso definir qual veículo atenderá adequadamente as suas necessidades particulares — bem como a sua capacidade de pagamento. O ideal, portanto, é iniciar a análise contatando as revendedoras com meses de antecedência, para ter tempo de comparar preços.

Decida qual caminhão comprar

Também é preciso ter em mente que as características do seu veículo dependerão das necessidades do seu público-alvo e da sua empresa. Cada modelo tem uma função específica, e várias condições precisam ser checadas, como:

  • valor da entrada e do seguro;
  • local em que o veículo vai trafegar;
  • tipo de carroceria;
  • distância e tempo das viagens;
  • condições de pagamento.

Com isso em mente, antes de comprar um caminhão estude todos os modelos disponíveis no mercado, suas condições de pagamento e a previsão dos custos de manutenção.

Estude a melhor forma de pagamento

O melhor meio de pagamento é à vista, já que você não pagará juros e ainda deve conseguir um bom desconto. Mas, se isso não for possível no momento, não se preocupe! Ainda existem várias maneiras de financiar o veículo.

Consórcio

O consórcio é a melhor escolha para quem deseja adquirir o caminhão sem pressa. Nele, várias pessoas (físicas ou jurídicas) se juntam em uma espécie de investimento coletivo, intermediados por uma administradora.

Os participantes contribuem com parcelas mensais e equivalentes ao valor do bem pretendido, durante um prazo predeterminado. Existe também uma taxa da administradora, que é acordada na contratação e incluída nas parcelas, além do seguro e do fundo de reserva, que são usados para garantir que o grupo funcione ao longo do tempo.

Caso você opte pelo consórcio, saiba que a maioria dos fabricantes e concessionárias têm planos próprios de consórcio. Lembre-se, apenas, de procurar uma empresa confiável, pois não há garantias de ressarcimento caso ela deixe de existir.

BNDES Finame

O BNDES Finame (Financiamento de Máquinas e Equipamentos) é um processo específico para empresas que recebem valores — por interferência de instituições financeiras credenciadas — com o objetivo de adquirir equipamentos, máquinas, bens de informática e de automação novos e fabricados no Brasil.

Os maiores atrativos desse financiamento são as baixas taxas de juros e o prazo de pagamento alongado, que pode ser de dez anos com carência de até dois anos. Assim, o seu fluxo de caixa não será comprometido, aumentando a sua possibilidade de contar com resultados antes mesmo da quitação da primeira parcela.

BNDES Procaminhoneiro

O BNDES Procaminhoneiro é um investimento mais flexível que o Finame, pois permite que tanto pessoas físicas quanto jurídicas financiem caminhões com a opção de incluir sistemas de rastreamento e seguro no custo total do financiamento. Nesse investimento, os bens serem fabricados no Brasil é uma exigência, assim como o Finame.

Essa flexibilidade, por outro lado, acaba custando mais caro, com uma taxa de juros de aproximadamente 15% ao ano. O prazo total do financiamento pode chegar a oito anos, incluindo o prazo de carência de até seis meses.

Crédito Direto ao Consumidor (CDC)

O CDC é um financiamento oferecido por instituições financeiras, por isso, é uma escolha acessível para pessoas físicas e jurídicas que estejam interessadas na compra de caminhões novos ou usados. Porém, ele exige muita pesquisa, pois suas taxas de juros variam bastante entre as instituições — e, uma vez acordado o crédito, as parcelas têm valor fixo.

Normalmente, o banco exige o próprio bem como garantia de pagamento do financiamento. Assim, enquanto a dívida existir, haverá nos registros do caminhão junto ao Detran um cadastro chamado Gravame, que proíbe o proprietário de fazer qualquer transferência até que o banco o retire.

Vale dizer, também, que quando se antecipa o pagamento das parcelas, os juros residuais são excluídos, o que gera uma redução do valor total do contrato.

Separe os documentos necessários para comprar um caminhão

Para financiar o seu caminhão é recomendável procurar o Detran. Esse órgão permitirá consultar multas, pontuação e dados de licenciamento nos casos de veículos usados.

Não existe uma unanimidade das instituições financeiras em relação à documentação exigida, mas na maioria das vezes os documentos necessários são:

  • RG;
  • CPF (Cadastro de Pessoa Física) ou CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica);
  • comprovantes de residência que mostrem consumos como água, luz ou telefone;
  • declaração do local onde se trabalha;
  • proposta do financiamento preenchida corretamente;
  • DUT e/ou nota fiscal do veículo;
  • formulário do Detran do seu município que mostre a inexistência de débitos do caminhão;
  • comprovantes de renda ou declaração de imposto de renda;
  • requerimento para débito em conta.

Negocie os prazos e o valor da entrada

O prazo de financiamento varia de acordo com o ano de fabricação do veículo, sendo, normalmente, de oito anos. Para caminhões usados, esse prazo pode ser de seis anos, se o veículo tiver menos de sete anos, diminuindo gradativamente em função do seu tempo de uso.

Quanto à entrada, as instituições financeiras costumam exigir de 30% a 50% do valor do caminhão, o que é definido após análise de crédito do comprador e considerando o ano de fabricação do veículo. Para pessoas que possuem ou já possuíram um veículo em seu nome, por exemplo, a taxa é fixada em 30%.

Ainda assim, quanto maior for o valor da entrada, melhor serão as condições. Por isso, antes de procurar um banco para negociar o financiamento, procure organizar sua vida financeira para dar a maior entrada possível. Dessa forma, você diminuirá bastante o número de parcelas e reduzirá o valor dos juros.

Busque proteção para o veículo

Uma boa maneira de garantir a integridade do seu veículo é ter um seguro confiável para caminhões — de preferência, com cobertura nacional. Afinal, a manutenção desse tipo de veículo costuma ter um preço bem elevado e, infelizmente, o transporte de cargas no Brasil sofre muito com assaltos e acidentes nas rodovias.

A instituição bancária, em geral, oferece esse serviço como um bônus no momento da efetivação do financiamento, mas é preciso verificar outras ofertas de seguradoras para optar por aquela que ofereça a melhor relação custo-benefício para a empresa.

A Real Furgões, por exemplo, projeta e fabrica soluções para o transporte de cargas e líder regional na produção de carrocerias fechadas (carrocerias frigoríficas e de carga seca), abertas e compartimentadas. Além disso, trabalha com equipamentos de refrigeração, plataformas elevatórias e realiza projetos especiais de carga de acordo com a necessidade do cliente.

Então, ficou interessado? Agora que você já está por dentro dos processos necessários para comprar um caminhão, entre em contato com a Real Furgões e conheça as nossas soluções!