Conheça os 4 principais tipos de caminhão para frete!

caminhoes-para-frete

Adequação, segurança e regularidade são critérios indispensáveis ao setor de transportes. Por isso, aproveitamos o tema para falar sobre um ponto ainda mais importante. Afinal de contas, você conhece os diferentes tipos de caminhão para frete? Caso não, sem problemas, pois esse é o objetivo deste post.

Assim, continuamos nossa série de artigos sobre o tema, em que já falamos sobre os diferentes tipos de carretas, cargas e carrocerias. Agora, é momento de elencar os diferentes caminhões, demonstrando como essa escolha pode impactar os resultados das suas operações. Acompanhe!

O que é um caminhão para frete?

Como sugere o nome, um caminhão de frete é um veículo utilizado, exclusivamente, para as operações de transporte rodoviário. Como diferencial, esses veículos são equipados de fábrica com muitas soluções importantes para a rotina do transportador, garantindo maior conforto e produtividade ao caminhoneiro.

Ainda assim, existe o importante mercado de implementos, que são modificações que aumentam a funcionalidade do veículo, tornando o caminhão ainda mais produtivo no cotidiano de trabalho — e a Real Furgões oferece uma série de soluções nesse segmento, como cabines, plataformas, refrigeradores e afins.

Outro ponto interessante é a enorme variedade de tipos de caminhão no mercado, tais como trucks, bitrucks, mecânicos trucados, bitrens, dois eixos, três eixos, rodotrens e afins. Cada uma dessas categorias conta com diferenciações importantes, sobretudo em tamanho, potência, tração e capacidade operacional.

Por conta disso, a compra de um caminhão deve ser acompanhada de uma análise cuidadosa sobre a função desse veículo na frota. Não basta apenas escolher o tipo adequado às suas rotas, mas também às cargas que você transporta, pois esse é o critério mais importante à sua produtividade e segurança nas estradas.

Quais os 4 principais tipos de caminhão para frete?

Agora que você conhece as diferentes categorias dos caminhões, é momento de conhecer as principais adaptações desses veículos aos tipos de carga que eles são criados para transportar. Abaixo, listamos os 4 principais tipos do mercado de fretes. Acompanhe!

1. Carga viva

Em um país com muita pecuária, como o Brasil, essa é uma das categorias mais importantes. O transporte de carga viva é repleto de desafios, requisitos e tecnicalidades, justamente para estimular a proteção dos animais transportados. O principal diferencial dessa carroceria é que ela precisa ter aberturas para ventilação.

Dessa forma, é possível garantir a respiração dos animais durante todo o deslocamento. Geralmente, essa categoria é segmentada em duas operações de transporte, deslocando animais de grande porte, como bovinos e equinos, e os de pequeno porte, como aves e suínos.

2. Carga frigorífica

Essa é uma categoria que complementa a anterior, principalmente se considerarmos a cadeia operacional de grandes frigoríficos e abatedouros que, inicialmente, deslocam os animais vivos até o frigorífico, e em seguida, os cortes prontos para os mercados e açougues. O principal destaque dessa categoria é a refrigeração.

Esse é um segmento ainda mais exigente em termos de regras e custos, pois a refrigeração geralmente está ligada à qualidade sanitária das mercadorias transportadas. Para os caminhões que trabalham nessas operações, o baú precisa apresentar uma vedação completa, módulo de refrigeração, e revestimento térmico.

3. Carga seca

A carga seca é uma das classes menos exigentes. Como sugere o nome, os itens transportados nessa categoria não demandam tanto cuidado como os anteriores, pois não são cargas vivas, nem ao menos precisam ser refrigeradas. Entre os principais itens, destacamos materiais de construção, alimentos não perecíveis e afins.

No entanto, ainda existem cuidados importantes no armazenamento desses itens dentro do baú. Mesmo sem precisar de refrigeração, essas cargas podem se mover durante o deslocamento, resultando em prejuízos à operação de frete. Por isso, é importante observar métodos de fixação e organização dentro do baú.

4. Cargas frágeis

Mais uma vez, retornamos a uma categoria de transporte delicada. As cargas frágeis são os itens de vulnerabilidade estrutural. O exemplo mais emblemático dessa classe é o transporte de grandes folhas de vidro e afins. Aqui, não apenas o interior do baú deve ser adaptado, como também a condução do motorista.

Sem uma condução suave e linear, toda a carga transportada fica vulnerável a qualquer choque ou impacto de média intensidade. Além do transporte, o próprio carregamento e descarregamento são complexos por si só, pois exigem atenção redobrada dos operadores, para evitar prejuízos materiais e danos físicos.

Como combinar o tipo de caminhão com o tipo de frete?

Além das categorias listadas acima, destacamos outras operações complexas e fundamentais para a logística atual, como o transporte de medicamentos, de veículos, de cargas a granel e por aí adiante. No fim das contas, conhecer essas categorias realça a importância da compatibilidade entre veículo e trabalho.

Por exemplo, no transporte de cargas vivas, os tipos de caminhões mais utilizados são as carretas e os trucks. Já no transporte de cargas secas, há a utilização desde pequenos VUCs (Veículo Urbano de Carga) até grandes carretas LS. Algo semelhante ocorre com a carga frigorífica, que emprega VUCs, carretas, tocos e trucks.

Já os caminhões-baús costumam ser ideais para o transporte de cargas frágeis, pois oferecem a proteção estrutural necessária para o deslocamento dessas mercadorias. Como pode notar, a escolha do caminhão vai muito além de uma decisão estética e de custo, pois é muito focada em critérios como função, propósito e usabilidade.

Outra categoria que merece atenção especial na hora da escolha é a dos caminhões dedicados ao transporte de mercadorias a granel, tanto sólido como líquido. Nessa classe, os itens não são embrulhados em nada que não seja o reservatório-baú do próprio caminhão. Entre os granéis sólidos, destacamos o transporte de grãos como milho, soja e afins.

Já no granel líquido, são commodities fluidas como combustíveis, água, óleos e afins. Nessa categoria, especificamente, os baús são tanques de aço, geralmente, cilíndricos. Portanto, é em meio a todas essas informações e tecnicalidades, considerando propósito, durabilidade e função, que as frotas devem decidir por uma nova aquisição.

Agora que você tem uma noção completa sobre os diferentes tipos de caminhão para frete, aproveite para seguir aprendendo cada vez mais sobre o seu segmento. Para isso, é fácil! Basta acessar e seguir as nossas páginas nas redes sociais. Nós estamos no Facebook, no LinkedIn e no YouTube.

Compartilhe este post

Share on facebook
Share on email