A aquisição de equipamentos destinados à operação logística deve ser avaliada com atenção. Essa recomendação deve ser encarada com ainda mais seriedade quando se trata de baú para caminhão.

Afinal, essa é a parte destinada ao acondicionamento da carga, sendo responsável por otimizar o transporte. Por esse motivo, o gestor deve ter conhecimento sobre os tipos de baú disponíveis e suas aplicações para tomar a melhor decisão possível.

Pensando nisso, preparamos este conteúdo com orientações para facilitar o processo de compra e de obtenção de resultados positivos. Confira!

Os tipos de carroceria mais utilizados

Em termos simples, a carroceria é a parte do veículo na qual a carga é transportada. As suas dimensões e formatos podem variar significativamente de acordo com o material a ser embarcado.

Por esse motivo, é importante que os profissionais da área estejam cientes dos tipos de carroceria mais comuns associados à logística rodoviária.

Plataforma

Esse é um modelo que permite o transporte de outro veículo. É frequentemente visto na função de reboque ou socorro para carros danificados ou apreendidos.

Porta contêiner

Essa versão foi desenvolvida para o uso de contêineres ou cargas de grande porte e volume, como peças de aeronaves.

Baú

É frequentemente utilizado para a movimentação de cargas que requerem proteção contra o ambiente externo. Existem diversos modelos dentro dessa categoria, como o Sider, que é muito usado para o transporte de bebidas. A sua principal característica é a lateral revestida de lona, que facilita a abertura do compartimento e o desembarque dos engradados ou paletes.

Tanque

Esse também é um modelo muito comum, cuja carroceria é construída em forma de um reservatório fechado, que possibilita a movimentação de:

  • água;
  • produtos químicos;
  • gases comprimidos;
  • derivados do petróleo.

Semirreboque

Essa versão de carroceria é adaptada para o acoplamento de carretas de diversos tipos e tamanhos. Esse equipamento é conhecido por sua versatilidade, pois possibilita a troca de carroceria de acordo com a necessidade.

Caçamba

É utilizado para o transporte de mercadorias a granel, cujo processo de descarga vale-se de portas com funcionamento basculante. Ou seja, a porta é erguida para possibilitar o despejo da carga no local de destino.

Aberto

Esse é um dos modelos mais comuns que podem ser vistos em circulação nas estradas. Em geral, carrega pequenos volumes e caixas que podem ser empilhadas. Além disso, quando há necessidade de proteção adicional, uma lona pode ser amarrada na parte superior.

Refrigerado

O seu uso é possibilitado por equipamentos que permitem controlar a temperatura interna do baú e selar as suas aberturas para evitar a deterioração. Com isso, é possível transportar produtos perecíveis, com segurança, no compartimento de carga.

Existem dois tipos de acordo com a temperatura mantida:

  • frigorífico — é um equipamento cuja refrigeração varia entre -15° C e -20° C, para a movimentação de carnes, frangos, peixes e pães congelados;
  • refrigerado — é o aparelho que mantém a temperatura entre 0 e -10°C, para cargas que incluem gêneros alimentícios como os laticínios.

Graneleiro ou silo

Esse é um modelo de uso específico para produtos que podem ser adquiridos a granel, desde grãos até cimento e areia para construção civil. O seu funcionamento depende da portinhola e da inclinação do baú para o despejo da carga com o auxílio da gravidade.

Especiais

Essa modalidade de baú é a dos caminhões-cegonha, projetados para o transporte de veículos. Também pode incluir veículos que têm constituição reforçada e um guindaste acoplado para a movimentação de cargas pesadas.

Os melhores materiais do baú para caminhão

Os baús de caminhão podem ser feitos de aço, madeira e alumínio. São melhorados a cada ano, já que é constante a busca por resistência, durabilidade e design. Veja quais os materiais mais utilizados e como eles podem ser combinados para aumentar a eficiência do transporte de cargas pelo país.

Alumínio

O alumínio apresenta as seguintes características, quando comparado ao aço:

  • é mais leve — por apresentar peso estrutural menor, a tara (peso do veículo sem carga) é reduzida, o que permite maior capacidade de carga;
  • é mais durável — mais resistente à corrosão;
  • é econômico — exige menos manutenção, menor consumo de combustíveis e lubrificantes e menor desgaste de pneus e de peças.

Isolamento térmico

Algumas cargas exigem conservação mais efetiva, como é o caso de produtos perecíveis, carnes, frutas, legumes e medicamentos. Para garantir as condições e propriedades desse tipo de produto, são construídos baús com revestimentos isotérmicos.

Os materiais mais utilizados para o isolamento térmico de baús é o poliuretano, aplicado nas laterais, no piso e no teto da carroceria. Alguns veículos também são equipados com soluções de refrigeração, que mantêm adequada a temperatura de todo o baú durante o transporte.

Vinil

Carrocerias próprias para o transporte de cargas paletizadas também têm laterais em vinil, para facilitar a abertura e as operações de carga e descarga dos produtos. Esse tipo de baú para caminhão é mais utilizado para o transporte de carros e produtos de higiene e limpeza.

Madeira

A madeira já não é tão utilizada, por questões de contaminação e de preservação ambiental, mas é um item que ainda pode ser encontrado em ripas nas laterais e teto dos baús, para facilitar a amarração da carga. Em alguns veículos, essas ripas são substituídas por perfis de aço galvanizado, que são ainda mais leves e resistentes.

Os cuidados necessários para a manutenção do baú para caminhão

Instalação

A instalação no chassi do caminhão deve obedecer às medidas proporcionais do veículo e ao limite de carga estabelecido para o caminhão. Deve considerar, ainda, o comprimento total do baú com o balanço traseiro e medidas de entre-eixo, para que o caminhão carregado esteja em seu ponto de equilíbrio.

Se essa instalação estiver errada, o baú e o caminhão podem ser danificados, principalmente pela forma irregular com que a distribuição de peso será viabilizada.

Manutenção básica

Alguns cuidados devem ser feitos para a manutenção do baú para caminhão:

  • reapertar os grampos ou fixadores;
  • fixar as ripas internas;
  • reparar a borracha das portas;
  • revisar a parte elétrica;
  • conferir a sinalização e realizar troca das faixas refletivas;
  • pintar partes enferrujadas;
  • conferir a vedação do teto.

A lavagem deve ser feita periodicamente, tanto da parte interna quanto da externa. Para inibir a corrosão, todas as áreas devem estar secas após a lavagem, principalmente os perfis das laterais. Não utilize lonas para cobrir o baú ou fitas de manta asfáltica para solucionar de forma permanente os problemas de vazamento. Nesses casos, é preciso aplicar a massa de vedação própria para baú.

Obrigações

É preciso conferir, também, os itens acessórios e obrigatórios para a segurança do motorista e a funcionalidade em caso de problemas durante a viagem, tais como cordas, caixa de ferramentas, cones de sinalização, macaco e o levanta-fio.

Carga e descarga

Alguns cuidados também precisam ser tomados no momento da carga e da descarga, no estacionamento do veículo e durante o uso de ferramentas como a empilhadeira. É preciso verificar se a carga foi bem amarrada nas barras laterais próprias para essa amarração, que devem ser parafusadas, e não rebitadas.

O momento ideal de trocar o baú para caminhão

Como todos os tipos de bem de consumo, os caminhões também estão sujeitos à depreciação e ao desgaste natural que diminui a sua eficiência. Problemas como reparos constantes, danos causados à carga, quedas e vazamento podem ser indícios de que está na hora de substituir o baú antigo.

Por isso, se você tem interesse em uma alternativa usada, é fundamental buscar informações sobre as opções disponíveis no mercado.

Os aspectos que devem ser avaliados para comprar o equipamento ideal

O primeiro aspecto a ser avaliado de forma cuidadosa é a disponibilidade de recursos no orçamento logístico para arcar com a compra. Como esse é um investimento de alto valor, é importante selecionar a opção que garanta um retorno suficiente para compensar os custos de aquisição.

Busque vendedores certificados

A tentação de buscar preços mais competitivos pode fazer com que o gestor não procure revendedoras especializadas. Contudo, essas empresas fornecem mais segurança, pois contam com serviços adicionais, como despachante, apólices de seguro e linhas de crédito para financiamento do pagamento.

Desse modo, a procura por baús usados pode gerar menos problemas com a gestão da frota no futuro.

Verifique a qualidade do material

O processo de decisão deve considerar a compatibilidade do baú a ser adquirido com as particularidades da sua operação. Por isso, considere fatores como a qualidade dos materiais aplicados na sua produção. Existem carrocerias feitas de madeira, aço ou alumínio — materiais que têm durabilidades distintas.

A segurança das mercadorias e dos demais usuários das rodovias deve ser um dos motivos para escolher opções com maior índice de segurança e para realizar manutenções periódicas. Isso ocorre porque o estado de um caminhão depende da sua frequência de uso e da qualidade das estradas pelas quais circula.

Inspecione possíveis avarias

A compra de equipamentos usados é uma questão que esbarra na existência de avarias visíveis e emendas que podem indicar a ocorrência de acidentes e tombamentos.

Adicionalmente, é recomendado avaliar as condições de conservação de componentes como eixos, suspensão, rodas e pneus. Afinal, a carga não será suportada somente pela estrutura do baú, mas pelo conjunto de elementos mecânicos que possibilitam a sua movimentação.

Avalie a capacidade do compartimento de carga

Tenha em mente que é preciso adquirir a opção que é mais compatível com o tipo de carga transportada, e não a com o preço mais acessível. Os resultados não serão positivos se o espaço não for suficiente para acomodar as embalagens, pois haverá queda na produtividade.

Durante a etapa de pesquisa, considere as dimensões das caixas e paletes, visando o aproveitamento da capacidade de carga do baú em questão. Desse modo, o gestor garante a eficiência da logística ao aumentar o número de entregas possíveis.

Portanto, deve-se reconhecer que a compra de um baú para caminhão que apresente problemas constitui um risco para as finanças da organização e para a segurança da operação.

Além de seguir as recomendações descritas neste post, você também pode descobrir quais os riscos mais comuns durante a carga e a descarga de um baú para caminhão. Vamos lá?